Ads

 Rádio Onlline de Música Latina

Últimas Notícias

Reggaeton, a música da década! Confira o crescimento do ritmo de 2010 até 2019

Bad Bunny e J Balvin (Divulgação: Volts)

Não seria pretensioso afirmar que o Reggaeton foi o ritmo musical que mais cresceu na década de 2010. Se antes o mundo já reconhecia o talento de artistas latinos como Jennifer Lopez e Ricky Martin, foi nessa década que a América Latina ganhou de vez os holofotes globais com o estouro e as batidas do ritmo que nasceu em Porto Rico, popularizou-se em meados dos anos 2000, e hoje alcança cifras impressionantes, figurando com frequência nos charts mundiais.



Epicentro

Se o ritmo da década é o Reggaeton, dois países concorrem pelo título de epicentro da explosão reggaetonera durante esses 10 anos: o berço Porto-Rico e a fervorosa Colômbia. Nomes de peso da ilha, como o consagrado Daddy Yankee e os jovens Bad Bunny e Ozuna, disputam as atenções (no melhor sentido da palavra) com os colombianos J Balvin, Maluma, Shakira (entre tantos outros), alcançando números impressionantes e expandindo o gênero para o globo.



Invasão feminina

E por falar em Shakira, que dispensa apresentações, foi também nessa década que o estilo, predominantemente dominado por artistas masculinos e tido por vezes como machista e preconceituoso, viu crescer uma nova vertente feminina.

Mulheres fortes e talentosas como Becky G, Natti Natasha, Karol G, Greeicy, Lali, Anitta, a inovadora Rosalía e a própria Shakira deram o tom e trouxeram renovação ao reggaeton, num momento tão crucial para as mulheres no mundo.


Até mesmo Beyoncé se rendeu ao gênero e gravou um remix da exitosa “Mi Gente”, eternizada na voz de J Balvin.


Sem contar com o remix da Ketty Perry com o Daddy Yankee da canção Con Calma e Madonna com o Maluma!


Menção honrosa para o retorno de Ivy Queen, uma das pioneiras no gênero.



Artistas consagrados que se reinventaram

Como falar de Reggaeton e não citar Daddy Yankee?

O porto-riquenho, considerado por muitos como um dos pioneiros do Reggaeton, aproveitou a década da música latina para emplacar vários hits. Entre eles, Con Calma e Que Tire Pa’ Lante foram os mais visualizados e vendidos. Um rei nunca perde sua realeza, não é mesmo?


Numa década repleta de desconstrução e poder feminino, Shakira voltou para dizer que nunca esteve na indústria para brincadeiras e se jogou no Reggaeton ao lado de Maluma nas faixas Chantaje e Clandestino.


E o que falar do El Rey?

Apenas nesta década, o consagrado Don Omar lançou um álbum contando com vários nomes de peso no cenário, saiu em turnê ao lado de Daddy Yankee, anunciou sua “aposentadoria”, lançando seu álbum intitulado The Last Don II, e depois de três anos nos agraciou com uma nova música. É um dos artistas que merece ser citado nessa matéria.


Nova geração

Não é novidade que falemos de Daddy Yanke, Shakira, Don Omar e outros. Porém, não podemos deixar de mencionar os artistas que surgiram nessa década e estão levando o Reggaeton para o mundo com louvor. Os colombianos J Balvin, Maluma, Sebastian Yatra e Manuel Turizo, os porto-riquenhos Bad Bunny, Lunay e Ozuna, os venezuelanos da banda Mau y Ricky, o argentino Paulo Londra e a boyband multicultural CNCO são alguns exemplos.

Todos os artistas citados somam um total de aproximadamente 181.000 em números de vendas apenas esse ano.

O que esperamos é que esse número dobre e que mais artistas surjam para popularizar ainda mais o estilo.



O Reggaeton no Brasil

No Brasil, a artista Anitta ganha a América Latina cantando Reggaeton em inglês e espanhol, se apresentando em diversas premiações junto com os melhores cantores de Reggaeton do mundo e consolidando sua carreira. Entretanto, quando falamos de artistas de Reggaeton no país tropical, não contamos apenas com Anitta, já que muitos cantores decidiram adotar o ritmo para algumas de suas canções. Dentre eles, podemos citar: Kevinho, a dupla Lucas e Orelha, Nego do Borel, Ludmilla, entre outros.


Sem dúvidas o Reggaeton ainda tem muito o que crescer em nosso país, então esperamos ansiosos por isso.



Plataformas digitais


Essa foi também a década em que o Reggaeton alcançou seus primeiros bilhões de visualizações no Youtube com El Perdón, parceria entre Nicky Jam e Enrique Iglesias. Lançada em 2013, a música correu o mundo e virou tema de novela no Brasil.


E não foi só no mundo da música que o Reggaeton se destacou. Além das várias séries de sucesso que abordaram a temática e tiveram o Reggaeton como trilha sonora, o gênero também brilhou nas telas da Netflix e no YouTube. Enquanto no YouTube o primeiro documentário da plataforma foi do cantor Maluma, contando sua trajetória de vida, na Netflix séries como El Ganador (que conta a história de Nicky Jam) e a série La Reina del Flow ganham destaque.



Virais


Músicas como Danza Kuduro e a já citada Mi Gente, foram importantíssimas para a viralização do Reggaeton em alguns lugares. Mas, não dá para falar sobre a invasão reggaetonera na década sem falar dele: Luis Fonsi.


O porto-riquenho escancarou as portas do mercado mundial com seu fenômeno Despacito no ano de 2017, em parceria com o já consagrado Daddy Yankee. Alavancado pelo lançamento de um remix com o canadense Justin Bieber, o hit quebrou recordes internacionais e é ainda hoje figurinha carimbada nas baladas ao redor do mundo. O hit tem o videoclipe mais assistido na plataforma do Youtube de todos os tempos, ultrapassando a impressionante marca de 6,5 bilhões de visualizações até o momento.


Que na próxima década o reggaeton siga rompendo fronteiras e conquistando cada vez mais espaço no mercado mundial. Como já dizia José Álvaro Osorio Balvin: "Dios bendiga el reggaeton, amen!"




Essa matéria foi uma colaboração de todos da equipe da Reggaeton Brasil. 

Texto por: Ana Beatriz e Gabriela Morais

Nenhum comentário

Bem-Vindo ao site OFICIAL DO Reggaeton Brasileiro, deixe seu comentário e sua opinião, compartilhe com seus amigos e fique sempre ligado nas novidades. Obrigado por ler mais uma postagem de nosso site!


ATENÇÃO - REGRAS DE COMENTÁRIOS

Não escreva nada agressivo, racista, ou pejorativo, tais comentários serão apagados.

Evite comentários ANÔNIMOS, se identifique ao menos com um nome. Pra isso basta escolher Comentar como: Nome/URL Se possível deixe em URL seu link para contato.